Dicas de Pintura


USO DAS CORES

O uso das cores na pintura permite inúmeras possibilidades para a decoração do seu imóvel. Veja algumas dicas:

  • Encurtar o ambiente: para uma sala retangular muito comprida, pinte as paredes menores com uma cor mais escura.
  • Alongar ambiente quadrado: aplique cor mais escura em duas paredes, uma de frente para a outra.
  • Esconder objetos: pinte a parede no mesmo tom do objeto que você que esconder.
  • Destacar objetos: aplique uma cor intensa ou contrastante na parede de fundo.
  • Rebaixar o teto: pinte o teto com uma cor mais escura do que a das paredes.
  • Elevar o teto: pinte o teto com uma cor mais clara do que a das paredes.
  • Alargar corredor: pinte as extremidades do corredor (paredes menores) e o teto com uma cor mais escura do que a das paredes que acompanham o sentido do corredor.
  • Alongar a parede: nesse caso, é fundamental que a parede seja bicolor, com a divisa entre as duas cores à meia altura (nessa separação, pode-se inclusive aplicar um barrado). Na parte de cima da parede, o tom deve ser mais claro do que a cor da parte de baixo.
  • Encurtar parede: exatamente a situação inversa do item acima. A parte de cima da parede deve ser de um tom mais escuro do que a cor da parede de baixo.

DIFERENÇAS DE TONALIDADE

Existem várias causas que provocam diferença de tonalidade.

  • Homogeneização deficiente: duas tintas com a mesma cor homogeneizadas diferentemente apresentarão diferença de tonalidade. Certifique-se de que as tintas estejam homogeneizadas adequadamente antes de sua aplicação.
  • Iluminação do ambiente: duas paredes de um mesmo ambiente, porém com iluminação diferente, apresentarão tonalidades distintas, mesmo sendo pintadas com a mesma tinta, da mesma cor.
  • Retoques de pintura: frequentemente o retoque da pintura, mesmo quando feito com a mesma tinta, pode provocar uma diferença de tonalidade entre a parte retocada e o resto da superfície. Evite retocar a pintura após 24 horas de aplicação e, quando necessário, repinte toda a superfície (toda a parede, todo o teto etc.).
  • Tintas da mesma cor, mas de fabricantes diferentes, normalmente apresentam pequenas diferenças de tonalidade. Procure usar tinta de uma só marca em um mesmo ambiente.

ATITUDE SUSTENTÁVEL: EVITAR SOBRAS

  • Para evitar sobras de tintas, a orientação é a de planejar antes de pintar, ou seja, calcular quanto vai usar de tinta, para a sobra ser a mínima possível. Isso significa adquirir apenas o material necessário, tirando as medidas da área que vai ser pintada antes de comprar ou indicar a quantidade de material que precisa. A regra é: “medir duas vezes e comprar apenas uma vez”.
  • Se sobrar tinta, nunca se deve descartá-la em bueiros, rios ou no solo. O melhor caminho é reaproveitar, lembrando que tintas similares podem ser misturadas entre si. Ou seja, tintas base água podem ser misturadas com outras tintas base água; e tintas base solvente com outras tintas base solvente. Da mesma forma, deve ser destacado que, quando se misturam diversas cores, é fácil obter cores escuras, como o cinza ou o concreto. A mistura de diversos tons de branco também é recomendada, já que o resultado final ainda é tinta branca, que pode ser utilizada, por exemplo, como primeira demão de tetos, por exemplo. Outra possibilidade, que é ecológica e socialmente responsável, é doar para alguma associação de bairro, igreja, vizinho ou pessoa que necessite dos produtos. Como último recurso, a sobra de tinta deve ser “aplicada”, com o auxílio de pincel ou rolo, em jornais ou papéis de embrulho. Depois de seco, esse papel “pintado” pode ser descartado em lixo comum.

PRECAUÇÕES A SEREM TOMADAS

  • Evitar a pintura em dias chuvosos ou com ventos fortes, pois eles trazem poeira e outras sujeiras para a pintura. Também não é bom pintar quando a temperatura está muito baixa ou quando a umidade relativa do ar está acima de 90%.
  • SPara a limpeza da superfície pintada, deve-se usar apenas água com detergente líquido e neutro e esponja macia. A limpeza deve ser feita de forma suave e homogênea, em toda a superfície pintada, enxaguando com água limpa. Não devem ser utilizados produtos abrasivos, que podem danificar a superfície pintada. Não é recomendado o uso de equipamentos que utilizam água quente ou vapor, pois podem gerar manchas.

MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A PINTURA

Além das tintas, fundos e massas, é necessário ter rolos, trinchas e pincéis, caçambas ou bandejas, fitas adesivas, lixas, espátulas de aço (para aplicar massas em pequenas áreas e remover a pintura velha) e desempenadeiras de aço (para aplicação de massas em grandes áreas). Para todas as ferramentas e equipamentos, é importante estar atento à sua qualidade e à adequação para a utilização pretendida.

Em relação aos rolos, pincéis e trinchas, o que determina é a utilização que terão. Para áreas maiores, usam-se rolos, que são de diversos tipos. O pincel e a trincha são utilizados para a aplicação de esmaltes, vernizes, tintas a óleo, tintas látex e complementos, como fundos para madeiras, para metais, seladores etc. São especialmente indicados para pintura que não seja lisa e tenha muitos detalhes; em alvenaria são úteis para requadrar a superfície. A trincha é mais usada do que o pincel.

Existem diversos modelos de pincéis e trinchas, que devem ser escolhidos conforme a tinta a ser aplicada.

SEQUÊNCIA RECOMENDADA PARA PINTAR UM AMBIENTE

O ideal é começar pelo teto, pintando depois as paredes. Em seguida, devem ser pintadas as portas, as janelas e no final os rodapés.

A pintura das áreas externas deve ser feita antes de pintar as áreas internas.

Existem diversos modelos de pincéis e trinchas, que devem ser escolhidos conforme a tinta a ser aplicada.

ESCOLHA DAS TINTAS

A escolha da tinta deve ter como primeiro critério a superfície onde será aplicada: alvenaria, metal ou madeira. O segundo critério básico é o local onde será aplicada: interior ou exterior do imóvel e o tipo de cômodo.

Após a definição do local, é importante verificar se a tinta atende às especificações mínimas determinadas pelas normas técnicas brasileiras. Esse é o melhor critério técnico para saber se uma tinta tem padrões mínimos de qualidade. Vários fabricantes de tintas participam do Programa Setorial da Qualidade – Tintas Imobiliárias, ligado ao PBQP-H do Ministério das Cidades, que tem como objetivo melhorar a qualidade das tintas no mercado brasileiro. Esses fabricantes estão comprometidos em fabricar seus produtos com a qualidade exigida por estas Normas.

PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE A SER PINTADA

É preciso fazer uma limpeza completa, que remova qualquer material que possa contaminar a pintura. A superfície precisa estar firme, uniforme (sem buracos ou rachaduras), seca e sem poeira, gordura, graxa, sabão ou mofo. Antes de pintar, é preciso verificar e corrigir imperfeições na parede, com argamassa ou massa corrida. Em caso de reboco novo, é preciso aguardar 28 dias no mínimo para a sua secagem, antes da pintura.

Os principais problemas causados pela falta de uma preparação correta da superfície são:


  • Eflorescência (formação de manchas esbranquiçadas na parede pintada, por causa do reboco úmido)
  • Saponificação (junção da umidade com substâncias da cal e do cimento que compõem o reboco, formando manchas)
  • Desagregamento (a pintura se solta da parede, junto com parte do reboco, esfarelando)
  • Descascamento ou calcinação
  • Aparecimento de manchas
  • Fissuras e trincas

O TRIPÉ DA BOA PINTURA

Para obter um bom resultado na pintura, é preciso cuidar bem de três aspectos:


  • a preparação da superfície a ser pintada;
  • a escolha da tinta e de produtos complementares;
  • a utilização das técnicas corretas para aplicação dos produtos.